A Barreto & Gonçalves foi fundada por Alberto Tomás Barreto (bisavô de Joana Barreto Leitão, co-proprietária desde com o marido, Nuno Ruas Neto, DESDE 2006 até ao seu fecho) e por Artur de Brito (pai do banqueiro Jorge de Brito) e pelo então notário Américo Gonçalves.

A Ourivesaria e Joalharia Barreto & Gonçalves era uma das ourivesarias históricas de Lisboa, conhecida desde sempre pelo restauro de peças e pelas jóias antigas, tradição herdada do Comendador Américo Barreto, tio-avô da proprietária, especialista em gemologia, conselheiro e avaliador de peças antigas, de objectos romanos a peças do século XVIII e também de arte sacra. A loja manteve punção e marcou peças de 1926 a 1941, acabando por extinguir a marca em 1973.

A loja, graças à sua história, mas também à sua fachada e ao seu interior forrado a madeira, com belos letreiros publicitários e pintura de tecto, constava do Inventário Municipal (31.93) anexo ao PDM, estava inserida na Lisboa Pombalina classificada Conjunto de Interesse Público (2012) e estava classificada pelo Programa Lojas com História (2017) da CML.

É com grande tristeza que registamos o encerramento da Barreto & Gonçalves.

     

Fotos de Arquivo (© Artur Lourenço, Arquivo Municipal de Lisboa) e foto actual