Morada: Largo do Calhariz, nº 4

Telefone: 21 346 47 89

Emailtabacariamartins@gmail.com

Fundador: Manoel Francisco Nunes Martins

Proprietário actual: Ana Martins

Artigos: Vende tabacos (cigarros, cigarrilhas, charutos, tabaco de enrolar, mortalhas, filtros e tabaco em folha, máquinas para fazer cigarros e cigarros electrónicos), jornais e revistas nacionais e estrangeiros, material de escritório, de arquivo e impressão, bem como material escolar, jogos didácticos e os jogos da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

Decoração: Interior forrado integralmente a madeira, com tecto, estantes, armários e balcão a madeira exótica, e friso, remontando a finais do século XIX, princípios do XX. Relógio e várias placas publicitárias a marcas de tabaco. Na fachada, duas placas em pedra anunciando: «tabacos nacionaes e estrangeiro – cervejas – aguas» e «artigos de papelaria papel selado selos e letras – loterias e jornais». Outra placa, em metal, anuncia: «vendem-se estampilhas e mais fórmulas de franquia de correios e telegraphos».

História: A Tabacaria Martins é uma das raríssimas tabacarias antigas de Lisboa ainda em actividade, estando praticamente igual ao que era aquando da sua inauguração em finais do século XIX, quando Manoel Francisco Martins, Avô da actual proprietária, veio da Beira e se instalou em Lisboa, abrindo este espaço e mandando fazer a boiserie que envolve toda a tabacaria, concebida aliás como peça única, unindo os armários ao balão encastrado e a própria montra. Depois do Avô viria o Pai e agora, desde há 15 anos a esta parte, Ana.

O que na transição do século XIX para o XX começou por ser uma «loja de conveniência» daqueles tempos, vendendo água e cerveja em garrafa, passou depois a negócio de valores selados e tabaco, sendo este um negócio que se mantém até à actualidade. Com a introdução da lotaria em Portugal, a Tabacaria Martins foi uma das primeiras casas a aderir ao negócio do jogo. Com o tempo, já com Ana Martins como sua responsável, a loja passou a vender também artigos de papelaria e, desde há 3-4 anos, postais e outros artigos para turista.

Curiosidades: Quando a Tabacaria Martins esteve fechada para efeitos de colocação de nova instalação eléctrica e renovação do chão, que continua em lioz, de resto, foi grande a decepção da clientela perante o facto da tabacaria não se ter tornado «moderna, como as outras…».

A localização da Tabacaria Martins tem-lhe permitido, desde o início, ser local de passagem de várias personalidades ao longo do tempo, que ficam clientes da loja, desde deputados ao Parlamento a artistas ligados às artes, ao cinema, às novelas. José Fonseca e Costa era cliente assíduo e, ao tempo do Manoel Francisco Martins, o local era ponto de inúmeras cavaqueiras entre escritores ou políticos, como, por exemplo, Tomás de Figueiredo ou Henrique Galvão. Já com o Pai e com a actual proprietária as conversas são menos frequentes, porque «não se pode perder tempo com isso deixando outros clientes à espera… quando a concorrência directa está a poucos metros daqui», refere Ana Martins.

Protecção: Consta do Inventário Municipal (nº 49.04) anexo ao PDM e está inserida na Lisboa Pombalina classificada Conjunto de Interesse Público (2012).

Horário de funcionamento: Aberta de 2ª Feira a 6ª Feira das 8h30 às 20h. E aos Sábados, das 10h às 14h e das 15h às 20h.

Facebook