A Aníbal Gravador foi fundada em 1929 por Aníbal Freire e era gerida até há dias por sua neta, Maria Manuela Pinto. A Aníbal era uma das últimas resistentes de vão-de-escada e era o mais conhecido gravador de Lisboa, como o atestam os nomes gravados nos seus cartões expostos na loja. Eram convites, cartões de apresentação, envelopes, papel de carta, sinetes, brasões. Era especialista em gravação em baixo relevo em chapa, para posterior estampagem “em alto” no papel.

O seu letreiro em néon, vermelho e verde, apagou-se e já foi desmontado no início de 2018. A Aníbal encerrou em muito devido à falta de artífices. A Rua Nova do Almada ficou muito mais pobre.

É com grande tristeza que registamos o encerramento da Aníbal Gravador.

Fotos de Arquivo (© Artur Lourenço)