Morada: Avenida da República, nº 14

Telefone: 21 356 02 69

E-mail: galeto@netcabo.pt

Fundador: “Sociedade de Restaurantes Galeto, S.A.”, constituída pelos sócios Arlindo Gonçalo, Isidro Moreira, Arlindo de Castro, António Ferreira, Manuel Grave e António de Oliveira.

Proprietários: Francisco da Silva Nogueira de Oliveira e família

Autoria: Arquitectos Joaquim Bento d’Almeida (1918-1997) e Victor Palla (1922-2006)

Decoração: Na decoração inspiradíssima e de inspiração modernista (há quem a veja como cinematográfica) que a famosa dupla de arquitectos (responsável pela concepção dos melhores dos primeiros snacks do país e de algumas das mais belas pastelarias-cafés de Lisboa) concebeu para o Galeto, salta imediatamente à vista a aparente escuridão da sala, ponteada por candeeiros cilíndricos que pendem do tecto e que iluminam apenas o que devem iluminar e nada mais. Nas paredes, painéis de azulejos pretos com aplicações metálicas.

Isso e um interminável balcão de madeira (sob o qual existe e prateleira para as senhoras colocarem a mala), marcado por uma não menos ziguezagueante fileira de cadeiras, de assento e costas em calfe beige, e uma série de suportes em frente ao cliente, com os molhos e temperos e, claro, os inconfundíveis e coloridos menús.

Trata-se de uma obra “total”, em que se conjugam de forma brilhante e inovadora, as artes gráficas, a arquitectura, a decoração de interiores, o azulejo, a madeira, a marcenaria e a carpintaria, a luz e a sombra.

Produtos: Pode dizer-se que continuam a ser os combinados (uma moda dos anos 60), os hambúrgueres (até os há ao pequeno-almoço, servidos em brioche, com maionese e picles, acompanhados de café!), e as taças de gelado (coroados pelas célebres sombrinhas e pelo inconfundível molho de framboesa), os clássicos e ex-libris dos intermináveis pratos serviços pelo restaurante e snack.

Protecção: Consta do conjunto edificado registado em Inventário Municipal (nº 23.67) anexo ao PDM e está abrangida pelo Programa Lojas com História (2017)

Curiosidades: O restaurante e snack-bar “Galeto” resultou da iniciativa de um grupo de portugueses emigrados no Brasil, que possuíam vários restaurantes no Rio de Janeiro e foi inaugurado com a presença do subsecretário de Estado da então Presidência do Conselho e de representantes do Comissariado do Turismo, importando o investimento total em cerca de 10 mil contos.

Nessa altura, o Galeto compreendia um snack-bar no piso térreo, com capacidade para 125 pessoas, e um restaurante na cave, com 78 lugares. Desde então apenas sofreu alterações na fachada, com a abertura da porta larga automática em vidro a toda a extensão da montra, tudo o resto se mantém tal qual aquando da inauguração: decoração de interiores, casas de banho e até os menús.

Horário de funcionamento: Aberto das 7h30 às 3h30 da manhã, de 2ª Feira a Domingo.

Facebook