Morada: Largo do Carmo, nº 26

Telefone: 21 342 33 86

Sítio: http://www.sapatariadocarmo.com

E-mail: sapatariadocarmo@gmail.com

Fundador: Francisco de Oliveira Abrantes, avô de Regino Paulo da Cruz, proprietário até 2012.

Proprietário actual: Famíla Lourinho (Alexandra, João Pedro e Sofia Lourinho, e Denis Dâmaso)

Artigos: Fabrico e venda de calçado português, para homem e senhora, que se distingue pelas suas formas atraentes e padrões arrojados, modelos originais e muitos deles únicos. Os materiais utilizados são pele de gama alta de origem portuguesa e italiana. As solas em couro são realizadas pelos próprios artesãos e para as solas de borracha são dos melhores fabricantes a nível mundial. Os métodos de fabrico são o Blake system e o Goodyear welted.

Decoração: Esta loja de 20m2 caracteriza-se por um ambiente genuinamente rétro, desde a sua montra em aparelho de ferro (na verdade são duas montras ladeando simetricamente a porta), aos maples forrados a veludo, ao balcão em vidro, aos expositores rotativos (neste momento, retirados), às vitrinas e às velhas caixas de sapatos numeradas, datando toda a decoração de finais da década de 40. A porta à retaguarda é emoldurada por aro de ferro trabalhado em ondas e forrada de espelhos recortados, em losangos. De cada lado, um óculo, também da igual cercadura em ferro.

Protecção: Está inserida na Lisboa Pombalina classificada Conjunto de Interesse Público (2012)

Curiosidades: A Sapataria do Carmo é propriedade da família Lourinho, 4 jovens empresários que nada tinham que ver com sapatos (engenheiro agrónomo, um, jornalista, outro, etc.) mas que neste momento se consideram sortudos por ter sido uma aposta ganha. Tudo começou por um passeio por Lisboa em busca de um espaço para um negócio que ainda não sabiam qual seria, até que deram com a loja, fechada mas ainda com sapatos expostos. Perguntando o que se passava a um lojista vizinho que lhes disse estar o espaço à venda e o dono gravemente doente, decidiram deixar um bilhete debaixo da porta com a frase “estamos interessados no negócio”. Poucos dias depois o negócio estaria fechado, e feita a promessa ao dono (Sr. Regino Antunes Paulo da Cruz, que faleceria logo depois) de que manteriam o negócio e mantiveram. A partir daí, aprenderam muito sobre sapatos e fabricantes de sapatos, graças a um antigo funcionário da sapataria, que ali trabalhou durante 45 anos. Desde o início que procuram conservar o charme deste pequeno e carismático espaço, oferecendo calçado feito à mão. Trabalham com as fábricas Mariano e Armando Silva e a marca Paradigma. Entretanto, a loja já se expandiu para o espaço do lado, o antigo armazém da sapataria, que foi durante muitos anos uma barbearia. E já têm histórias engraçadas como a do cliente japonês que comprou sapatos para a sua mãe e voltou com uma caixa de bolos para dar aos Lourinho, até à fantástica memória do João Pedro Lourinho que se lembra de todos os clientes, que modelos comprou e que número calça, e à forma comovida como Alexandra Lourinho gosta de olhar a loja de fora, do fundo do largo, admirando a beleza e a simetria da montra.

Horário de funcionamento: Aberta de 2ª Feira a Sábado das 10h às 20h. Aos Domingos e Feriados, das 11h às 19h.

Facebook